RÁDIO WEB CEDEPPE

Centro de Desenvolvimento Pessoal e Profissional de Executivos

Qualidade e Gerenciamento de Projetos - Brasil, África, América Latina

Nossos Posts

Violência policial, Corrupção e Abuso de Autoridade

      A violência policial é um título imposto pelos defensores dos direitos humanos e pela imprensa sensacionalista. Porém classifico como excessos ou desvios de conduta, devendo sempre diferenciar os bons dos maus. Por outro lado, acredito de devemos refletir sobre as situações impostas a todos os policiais sem exceções, tais como baixos salários, pressão psicológica imposta pela imprensa e pela própria população, as frequentes investidas dos defensores dos direitos dos (Manos), falta de condições para desempenharem suas atividades, entre tantos outros fatores... Não esquecendo que muitos e praticamente todos os dias, policiais são mortos covardemente nas portas de suas casas ou no caminho para o serviço, muitos tem que esconder a profissão que exercem e a legislação que em nada ajuda e muitas vezes vai contra as atividades policiais.  

    Pensando nestes pontos, será que existe violência policial? Ou são excessos e desvios de conduta por reflexo do que sofrem? Não que se justifique, mas todo problema tem uma causa a ser tratada.

     Vale analisar como violência ao policial e não como violência policial.

     Quem defende a sociedade não pode ser agredido por ela. 

     Mas uma das maneiras de reverter este quadro é pararmos com o apoio sem nexo aos direitos dos (Manos), que nada mais são do que criminosos protegidos, numa inversão de valores sem precedentes. Nunca vi nenhum membro dos direitos humanos defenderem vítimas dos criminosos ou defenderem um policial.

     E essa conversa, que o policial representa o estado e por isso não pode ser defendido pelos defensores dos Direitos Humanos, considero mais uma violência contra o policial, afinal ele não deixa de ser um ser humano, por ser um representante do estado.

     Quanto a corrupção e ao abuso de autoridade são fatores culturais, infelizmente. E que devemos tratar desde a infância, dentro das escolas e dentro dos lares.

     Como cobrar adultos que cresceram vendo seus governantes cometendo crimes de corrupção, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, sem irem para a cadeia e sambando na cara da justiça e da nação, apoiados em suas imunidades parlamentares, demonstrando um enorme abuso de poder? Isso sem contar que muitos têm apoio e proteção da mais alta corte do judiciário?

     Alguns destes adultos tornaram-se policiais e com a investidura de autoridades cometem também a corrupção e abusos de autoridade, assim como muitos outros profissionais, advogados, médicos, empresários e até juízes.

     Cada cidadão dará uma solução para estes problemas, mas em minha concepção, a única solução realmente efetiva é a instrução e educação nas escolas (sem partidos), com matérias como Educação Moral e Cívica, Noções de Direito Constitucional e Direito Penal e com a instrução dentro dos lares.

     Podem prender, expulsar das corporações, processar e condenar, fazer indenizar... Mas virão outros e farão as mesmas coisas.

     Vamos extirpar a classe política atual, começar do zero, moralizar os três poderes. Vamos separar o joio do trigo e reescrever a história do Brasil.

     Formar o cidadão desde a infância é o único modo de transformar uma nação e o rumo de sua história. 

      Valorizar o policial e as instituições reduziria e muitos os problemas atuais, de modo paliativo até que a nova geração se faça presente.

      Investir na educação é o caminho para a ordem e o progresso.

     E nunca deixem de lutar pelo Direito, mas se o Direito não for alcançado lutem por Justiça.

Fonte: Marcelo dos Santos Costa Olaia - Consultor de Segurança