RÁDIO WEB CEDEPPE

Centro de Desenvolvimento Pessoal e Profissional de Executivos

Qualidade e Gerenciamento de Projetos - Brasil, África, América Latina

Nossos Posts

Saiba Quais são os 9 Ingredientes da Receita da Virada!

Postado por: Caetano de Oliveira

(Essa receita pode recuperar a energia e a vida de seus negócios)

No final do texto você pode se inscrever na Lista VIP!

Os indicadores gerais da Economia do Brasil continuam apontando para baixo e poderiam ser portadores de absoluta desesperança, para você que sonha com dias melhores para sua vida e para a vida de sua família. Cada vez que você olha para esses indicadores você sente que aquela sua viagem com a família, aquelas férias na praia, ou na Disney, estão mais distantes e, desse modo, podem não acontecer, antes que seus filhos deixem de ser crianças.

De fato, as previsões para os indicadores econômicos, que eu respeito muito, porque, inclusive, sou também um economista, continuam ruins, mas é preciso considerar que essas previsões sobre indicadores, via de regra, quando retratam as opiniões dos economistas, costumam trazer indicações piores do que as que efetivamente acabarão acontecendo.

Isso acontece em função de uma postura comum aos economistas, e à quase todas as pessoas que trabalham com planejamento e que utilizam essas previsões para alimentar aquela atividade. É uma questão técnica, e óbvia, eles sabem que é melhor prever menos e deixar que a realidade surpreenda positivamente, do que prever mais e gerar expectativas exageradas, que acabarão se transformando em frustração.

O motivo é simples, as frustrações duram mais na memória das pessoas e, portanto, marcam por muito mais tempo aqueles que as geram. Por isso, ninguém quer errar suas previsões, mas errar é uma das hipóteses possíveis e, se errar, é melhor que seja por ter previsto menos, e feito com que as pessoas tivessem suas expectativas superadas, do que pelo contrário.

Mas, para este texto preciso trazer, também, uma notícia importante e que muita gente não sabe. É o seguinte, embora a economia continue em queda, as características dessa queda foram se modificando ao longo do período, ou seja, no início a queda dos resultados era generalizada, como acontece, normalmente, em situações como esta que vivemos agora. Foi assim que, também, aconteceu em 2008, apavorando, incialmente, todas as empresas.

Porém, esse ciclo de queda da lucratividade das empresas, diferentemente daquele iniciado em outubro de 2008, já está muito longo e, com isso, divide as empresas porque, se existem empresários e executivos que costumam, em situação de crise, reduzir seus custos e ficar esperando que as condições macroeconômicas voltem a ser favoráveis, também existem outros que, ao contrário, costumam ser donos de suas vidas, que tomam iniciativas e se responsabilizam pela busca de seus resultados.

Estes últimos não ficam esperando por nada, eles vão em busca de novas armas, para vencer, em qualquer cenário.

O fato é que esses guerreiros modernos, os gladiadores de nossa era, nunca desistem e sempre estão em busca das novas ferramentas, das novas tecnologias e das novas formas de se aproximarem de seus clientes, levando alternativas capazes de viabilizarem as soluções que esses clientes buscam, ou que necessitam, e que, muitas vezes, nem mesmo têm consciência dessa necessidade, portanto, nem mesmo estão buscando atende-la, antes que sejam despertados para os novos produtos, que criam novos usos, novas soluções, novas aplicações e estabelecem as novas necessidades.

Mas esses ousados guerreiros sempre acabam encontrando a formula certa para o desenvolvimento e o crescimento que procuram, quebram paradigmas e são os verdadeiros criadores das grandes transformações e até de gigantescas rupturas, no seio da sociedade de consumo.

É em situações como a atual que, mais ainda, essa linhagem especial de executivos, incansáveis perseguidores das novas soluções, quase que inevitavelmente, encontram, até mesmo, múltiplos caminhos para fazer com que seus negócios cresçam, apesar de todas as dificuldades que as circunstâncias oferecem.

Não podia ser diferente! Agora, seus feitos já começam a acontecer, muitos começam a encontrar formas de vencer as adversidades e fazer com que seus negócios voltem a crescer, mesmo dentro de uma economia que insiste em se manter em queda.

Isso quer dizer que, neste momento, a queda não é mais generalizada, ou seja, ela acontece para a maioria, mas já existe um grupo crescente de empresas, neste momento, que retomaram o crescimento e estão tendo ganhos importantes, cumprindo a sua missão e realizando a sua visão, através de uma criteriosa gestão estratégica.

Isso é a prova concreta de que você não precisa continuar tendo dificuldades em sua empresa, apenas porque a economia brasileira tem problemas. Ao contrário, você pode ser um daqueles que vai mudar a tendência de seus negócios e ajudar a economia brasileira a obter resultados melhores. Isso sim pode ser,  sempre, verdadeiro.

Acredito, de fato, nisso e, como sou muito curioso fui pesquisar o que essas empresas, que foram capazes de voltar a crescer, estão fazendo para obter seus resultados. Descobri que não existe nada de tão espetacular nas ferramentas que utilizam, mas existe uma determinação espetacular, na busca pelo aperfeiçoamento, em cada uma dessas empresas, desses determinados líderes modernos.

O resultado dessa busca contínua por melhoria, leva, naturalmente, à identificação e adoção de ferramentas mais modernas, e até inovadoras, para serem aplicadas à gestão empresarial. E aí está o segredo que tem o peso de fazer toda a diferença.

A aplicação de ferramentas mais modernas e mais adequadas aos tempos atuais, cria uma condição competitiva superior, que leva essas empresas a obter resultados diferentes daqueles que estão obtendo todas demais.

Algumas dessas ferramentas eu já previa que seriam mesmo determinantes na superação desta crise e de todas as outras que possam vir a acontecer no futuro mais próximo, entre essas, destaque para  o Marketing Digital e a Neurociência, sobre as quais escrevi um texto, em meu blog, ainda em 2015, como você pode ver, acessando http://caetanodeoliveira.com.br/protagonistas-do-futuro-precisam-conhecer-neuromarketing/.

Talvez sejam essas duas ferramentas as mais importantes, inclusive, porque elas representam algumas das mais recentes novidades na gestão empresarial, já que são, mesmo, ferramentas relativamente novas. Entretanto, essas ferramentas, ainda que novas, são capazes de estabelecer diferenças muito grandes, nos resultados das empresas que já conseguiram incorpora-las ao seu dia a dia.

Mas o kit de ferramentas não fica somente nelas!

Existem outras 7, que complementam esse arsenal, criando as condições para a atuação vencedora das empresas que tendem a ser as novas estrelas da economia brasileira.

Portanto, identificamos 9 ferramentas que, juntas, são capazes de transformar os resultados e devolver a lucratividade e o crescimento das empresas. Entre as 9 estão essas duas, que podem ser consideradas novidades, e outras que de novidade nada têm, porém, as 9 formam um conjunto de ferramentas que, sem dúvida, é capaz de gerar resultados especiais, onde forem aplicados adequadamente.

Se quiser saber mais, acesse http://alatinaconsult.com.br/receita-da-virada/ para solicitar, em primeira mão e GRATUITAMENTE, o e-book "Os 9 Ingredientes da Receita da Virada". Mas não perca tempo, porque não sei até quando essa oferta estará no ar.

Um grande e fraterno abraço.

 

América Latina Consult Ltda.

João D Caetano de Oliveira

CEO

Fonte: Próprio